Detecção e Alarmes de Incêndio: Tudo que você precisa saber



Por
Dimensao Incêndio
26 fevereiro 18
0
comment
Detecção e Alarmes de Incêndio tudo que você precisa saber

Toda construção é um local com risco de sinistro. Principalmente as que possuem grande fluxo de pessoas ou veículos, equipamentos eletrônicos e demais materiais estocados. Às vezes um simples curto circuito é capaz de provocar um grande incêndio. E é aí que surge a necessidade de um sistema de detecção e alarme de incêndio.

Em alguns casos as pessoas próximas ou presentes no local de um incêndio, percebem a fumaça e as chamas e são capazes de tomarem as devidas medidas. Contudo, alguns acidentes são imprevisíveis e difíceis de serem detectados logo no seu início. O sistema de detecção e alarme de incêndio é capaz de detectar o foco de incêndio logo no início e proporcionar agilidade nas ações a serem tomadas para controlar o incêndio.

Todo o aparato de um sistema de detecção e alarme de incêndio é composto por diversos itens de equipamentos, formados por sensores manuais ou automáticos, que visam detectar e alertar focos de incêndio de uma determinada área. Sendo assim, é necessário que estes equipamentos estejam estrategicamente distribuídos pelo local.

Os principais elementos são:

  • Central de Alarme e Detecção;
  • Detectores de incêndio;
  • Acionadores Manuais;
  • Sinalizadores;
  • Módulos de Entrada e Saída;

Vamos detalhar cada item apresentado e sua importância no sistema de detecção e alarme de incêndio.

CENTRAL DE ALARME E DETECÇÃO

A central de alarme e detecção é responsável por coletar toda a informação do estado dos detectores e, em caso de identificar uma situação de alarme, acionar os sinalizadores. Ela também verifica falhas na instalação como cabos rompidos e curto circuitos. E a central de alarme e detecção pode ser endereçada ou convencional.

A central de alarme endereçada permite identificar cada elemento separadamente e assim, o local exato de um alarme. Os dispositivos de campo comunicam-se com a central através de um protocolo de comunicação, o qual, além da informação de alarme ou falha, pode ainda indicar outros parâmetros como grau de contaminação (detector sujo) ou ainda receber comandos como o ajuste do nível de sensibilidade.

Em função do grau de capacidade dos detectores e do próprio painel, a central de alarme endereçada pode ainda ser classificada como Analógica ou Inteligente, na medida que fornece mais informações a respeito de seu funcionamento e permite uma variação maior de configurações. Esta inteligência a torna mais compatível com as condições de cada ambiente.

central de alarme convencional é indicada para ambientes menores justamente por ser mais simples. Este tipo de central identifica zonas alarmadas, sendo cada zona composta por um ou mais detectores, limitado ao máximo indicado pela norma nacional ou pelo fabricante. Ela é simples e de menor custo, porém menos precisa na indicação do local exato da ocorrência, tendo em vista que sinaliza a área total composta pelo conjunto de detectores conectados à mesma área.

DETECTORES DE INCÊNDIO

Detectores são dispositivos que avaliam as condições do local. Podem ser detectores de fumaça, de temperatura e detectores de chama. Por se tratar de equipamento de precisão, a sua instalação deve ser elaborada por uma empresa especializada ou profissional habilitado para este tipo de serviço.

A comunicação entre os detectores e a central de alarme é feita através de laços de entrelaçamento ou convencionais e podem ser de dois tipos: Classe A (circuito fechado) e Classe B (circuito aberto).

  • Detector de Fumaça: Equipamento destinado para identificar fenômenos físicos ou químicos que procedem ou acompanham um princípio de incêndio no ambiente em que está instalado.
  • Detector de Temperatura: Dispositivo para identificar variações bruscas de temperaturas no ambiente .
  • Detector de Chama: Equipamento destinado a detecção de chamas. Uma chama é uma fonte de luz com características diferenciadas que facilitam sua detecção. Diferentemente de uma lâmpada comum, uma chama trêmula e as variações da luz resultantes podem facilitar no projeto dos sistemas de detecção.

ACIONADORES MANUAIS

Acionadores manuais são dispositivos operados manualmente por elementos humanos. Este tipo de dispositivo tem que ser instalado em local de movimentação humana e de fácil acesso, não podendo estar há mais de 30 metros perante a área protegida.

Basicamente este dispositivo está conectado à central de alarme através de um entrelaçamento ou laço convencional, é acionado por pessoas e permite indicar uma situação de emergência manualmente ao sistema, antes mesmo que seja detectado pelo sistema automático.

SINALIZADORES

Os sinalizadores são acionados a partir da central de alarme e são responsáveis por indicarem a situação no ambiente da ocorrência para que as pessoas sejam orientadas. O sinalizadores podem ser sonoros, visuais ou mistos.

O grau de aplicação dos sinalizadores sonoros e visuais são de acordo com as normativas nacionais. As sinalizações sonoras podem ser aplicadas através de sirenes, onde ainda pode haver diferentes tons para indicar diferentes situações, ou por alto falantes com instruções por voz, sejam elas gravadas ou ao vivo.

MÓDULOS DE ENTRADA E SAÍDA

Os módulos de entrada e saída são utilizados para diversos fins, como monitoração de dispositivos (por exemplo, chaves de fluxo do sistema de combate a incêndio por água), ou atuação sobre equipamentos em caso de sinistro (por exemplo, desligar o ar condicionado para evitar a troca de fumaça em vários ambientes, ou ligar a exaustão para eliminar a fumaça de um ambiente).

Os módulos também podem ser conectados a sensores diversos como sistemas especiais, detectores de gás (por exemplo detectores de amônia na indústria alimentícia), entre outros. Neste caso, a central de alarme expande sua funcionalidade para além da sinalização de incêndio, tornando-se uma central de alarme de emergência, seja de qual natureza for.

A instalação de um eficiente sistema de detecção e alarme de incêndio é de vital importância para o seu projeto e a segurança do pessoal e do ambiente.

fale com um especialista