Quadro de energia: como escolher o tipo certo?

No processo de construção de uma edificação, seja residencial ou qualquer outra finalidade, o quadro de energia é um dos itens mais importantes.

Por isso, a escolha certa do quadro de energia reduz custos a longo prazo com manutenção e reparos. Além de prevenir curtos-circuitos e incêndios.

A principal observação na hora da escolha de um quadro de distribuição de energia é se ele está dentro das normas técnicas.

Aconselha-se sempre a contratar profissionais qualificados para a instalação de quadros de energia e de preferência no início da obra.

Desta forma, evita-se quebrar paredes desnecessariamente.

O que é um quadro de energia elétrica?

Quadros de distribuição são equipamentos que recebem de uma ou mais fontes e distribuem energia elétrica a um ou mais circuitos de uma edificação bem como também uma proteção por meio de disjuntores contra sobrecargas e curtos.

Os quadros de distribuição de baixa tensão são instalados em uma construção em diferentes níveis:

  1. O primeiro nível é o quadro de distribuição geral (QGBTs), que recebe a energia elétrica direto do transformador.
  2. O segundo nível é o quadro de distribuição principal de uma edificação, como por exemplo um prédio.
  3. O terceiro nível é o quadro elétrico que no exemplo de um prédio de apartamentos está inserido dentro destes e distribui a energia para luminárias, tomadas e demais cômodos.

Basicamente, todos são quadros de energia, mas com configurações e finalidades diferentes.

O quadro de distribuição recebe a energia que é entregue na edificação direto da concessionária energética e distribui para um quadro principal, este por sua vez, distribui para o quadro terminal.

Este quadro terminal é aquele que geralmente encontramos dentro de nossas casas e apartamentos com conexões e disjuntores, alimentando o restante da construção.

Em edificações mais simples como casas pequenas é apenas um “quadro geral” externo e outro interno.

Os Quadros seguem as normas das NBR IEC 60439-1/60439-3, NBR IEC 60050 e NBR 5410 (Norma que regulamenta as instalações elétricas de baixa tensão) e a NR-10 (Segurança em instalações e serviços em eletricidade).

Como escolher um quadro de energia?

Certamente, a escolha deve ser feita ainda na fase de projeto levando em consideração o tipo de edificação.

Se será um prédio industrial, uma residência, um prédio de apartamentos ou um prédio comercial ou alguma outra edificação.

Assim, será definido o tipo de circuito na entrada principal, monofásico, bifásico ou trifásico.

Cada um destes tipos de circuitos influenciará na escolha do quadro de distribuição.

Há diversas marcas no mercado e diversos tamanhos. Os mais recomendados são os fabricados em aço inox pela maior durabilidade e proteção.

Leva-se em consideração todos circuitos terminais e aparelhos utilizados no local. Com isso, calcula-se amperagens, voltagens e a quantidade de disjuntores que serão utilizados.

E com a quantidade de disjuntores, determina-se o tipo de quadro e o seu tamanho.

Vale lembrar, que os quadros de distribuição devem ser instalados em locais de fácil acesso e sinalizados sobre seu perigo.

Outro cuidado que se deve ter com os quadros, é de instalá-los longe de tubulações de água.

Entretanto, compreender sobre quadros de energia, tipos, tamanhos, instalação e alguns cuidados ajuda na elaboração e na escolha ideal.

Outro fator a considerar, é a complexidade da instalação, importância das atividades executadas no local e severidade das intempéries externas.

E ao escolher o tamanho do quadro de energia, após as considerações e a quantidade de disjuntores e componentes do quadro, recomenda-se reservar um espaço para possíveis ampliações futuras, conforme especificado na NBR 5410.

Segue abaixo os itens comumente utilizados nos quadros de distribuição de energia:

  • Disjuntor Geral
  • Barramento de interligação de fases
  • Disjuntores dos circuitos terminais
  • Barramento do neutro
  • Barramento de proteção

Uma dica para se ter uma economia nos condutores é instalar os quadros de distribuição de energia nos centros de potência.

Contudo, em condomínios existem algumas particularidades nos cuidados com os quadros de distribuição.

Por isso, o projeto deve prever tantos quadros quantos forem os sistemas de utilidade do edifício.

Por exemplo: Quadro terminal do térreo para tomadas e luminárias, quadro terminal do subsolo para tomadas e luminárias, quadro terminal da piscina e quadras poliesportivas.

Consulte um profissional antes de obter um quadro de distribuição de energia.

orcamento online

Prevenção e Combate a Incêndio

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    X