História do Fogo

Você sabe como o homem descobriu o fogo e o incluiu na sua vida? Se não, continue lendo para conhecer a história do fogo.

Esse elemento foi e continua sendo essencial para o desenvolvimento das civilizações, não é verdade? Então, que tal embarcar com a gente nessa aventura histórica.

A importância do fogo para a civilização

Certamente, as chamas são a maior conquista humana durante a pré-história, responsáveis por grandes avanços. Além disso, sua descoberta levou os homens a extrair energia da natureza e moldá-la de acordo com suas necessidades.

No começo, elas eram sinônimo de proteção, pois afastavam os animais selvagens e ajudavam nos dias frios. Depois, começaram a ser usadas na caça, em tochas, para assustar a presa e capturá-la mais facilmente.

O fogo também foi utilizado para para cozinhar alimentos, deixando-os mais saborosos e saudáveis ao eliminar muitas das bactérias. Inclusive, também aumentou a variedade de alimentos que podiam ser consumidos. 

Por um lado, na Antiguidade, a brasa formaria a matéria. Por outro, na Idade Média os alquimistas acreditariam que ela era capaz de alterar as propriedades químicas das substâncias. Ele transformaria materiais sem valor em ouro, por exemplo.

A história do fogo

Como o fogo foi a primeira fonte de energia descoberta, controlada e usada pelos humanos, no começo eles só sabiam transportá-lo.

Um dos primeiros capítulos da história do fogo foi o atrito entre dois pedaços de madeira, que só foi escrito muito depois. Isso porque o homem viu que saíam faíscas de dois galhos que se esfregavam com o vento.

Segundo pesquisas arqueológicas, os povos primitivos começaram a produzir fogo no período neolítico. Ou seja, aos 7 mil anos a.C. Mas não foi fácil, pois eles precisaram usar tipos diferentes de pedras até encontrarem as melhores para produzir as chamas.

Nessa busca, diversos utensílios foram criados para ajudar. Um deles foi um disco de madeira que era girado rapidamente nas palmas das mãos e pressionado em uma superfície plana também de madeira. Depois, as puas de arco e corda, que eram mais rápidas na criação do calor.

Geralmente, a produção do fogo exigia muito trabalho. Por isso, alguns povos indígenas mantinham de prontidão uma equipe que garantia que a brasa nunca se apagasse.

Uma boa dica para conhecer essa história é o filme “A Guerra do Fogo“, de 1981. De maneira romanceada, ele conta como foi a descoberta do fogo pelos homens primitivos.

A química do fogo

Para conhecer a história do fogo também é preciso saber sobre sua química.

“A rápida oxidação de um material combustível liberando calor, luz e produtos de reação, como o dióxido de carbono e a água”. Essa é a definição do fogo em manuais de Física e Química.

Um composto químico orgânico suscetível à queima, em contato com uma substância comburente, precisa de uma energia de ativação fornecida por uma faísca. O composto pode ser papel, madeira, plásticos e hidrocarbonetos. A substância comburente, oxigênio e a energia de ativação, temperatura de ignição.

A partir da reação de queima, também chamada de combustão ou oxidação, o calor desprendido mantém o calor. Assim, os produtos emitem luz visível e energia causadas pela temperatura alta, 

Que tal conferir outros artigos do nosso blog para conhecer nossos equipamentos de segurança? Por sermos fabricantes, oferecemos modelos padronizados e especiais para prevenir e combater acidentes causados pelo fogo.

Curiosidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    X