Álcool em gel

Durante a pandemia do Coronavírus, o álcool em gel se tornou um item obrigatório na nossa rotina de higiene.

Isso porque, na ausência de água e sabão neutro, só ele é capaz de eliminar o vírus, que já causou a morte de mais de 350 mil pessoas em todo o mundo.

Muita gente não sabe, porém, que é preciso tomar alguns cuidados ao usá-lo. Caso contrário, pode causar incêndios, danos físicos e patrimoniais.

Acompanhe o nosso novo artigo e descubra outros perigos.

O uso do álcool em gel na prevenção do Coronavírus

O novo Coronavírus (COVID-19), é transmitido por gotículas geradas quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou expira. Assim, por serem muito pesadas para permanecer no ar, são rapidamente depositadas em pisos ou superfícies.

Por isso, a higiene frequente das mãos, rosto e superfícies é a única forma de eliminar o vírus e se prevenir da doença.

Esta limpeza pode ser feita com água e sabão neutro, que não provoca alergias à pele, e também com álcool em gel. Este produto, considerado antisséptico, é indicado para a prevenção do contágio de doenças respiratórias como a COVID-19.

Inclusive, estudos demonstram sua melhor eficácia em soluções 70%. Esta também é a recomendação da Anvisa e da OMS como parte dos serviços de saúde brasileiros e de medicamentos essenciais.

Seus perigos

Segundo o Corpo de Bombeiros, em março de 2019 foram registradas 2.560 ocorrências de incêndio em todo o estado de São Paulo. No mesmo período deste ano, foram 4.089.

Nos primeiros 20 dias de abril, porém, foram registradas 2.589 ocorrências contra 2.198 do mesmo momento do ano passado. Ou seja, um acréscimo de 18%. Uma das causas deste aumento expressivo no número de incêndios domésticos é justamente o uso do álcool em gel.

Quando usado para assepsia de mãos ou superfícies, é preciso esperar que ele evapore totalmente antes de qualquer contato com o fogo. Caso contrário, pode acontecer um grande acidente.

Este produto se torna ainda mais perigoso por ter uma combustão quase completa e sua chama ser praticamente invisível. Assim, fica difícil para as pessoas perceberem quando ele está em combustão e não colocarem objetos inflamáveis perto, por exemplo, um pano de prato.

Por um lado, o líquido é extremamente eficaz para matar o vírus. Por outro, gera altos riscos de queimaduras.

Cuidados na hora de utilizar

Para evitar incêndios e acidentes, é importante tomar os seguintes cuidados:

  • Quando estiver dentro de casa, procure fazer a higienização das mãos com água e sabão neutro. Reserve o álcool em gel para quando estiver fora de casa, no transporte público ou durante o trabalho;
  • Não o deixe na mão de crianças, que podem passar grande quantidade no corpo, nem de pessoas fumando;
  • Na hora de higienizar as mãos com o produto, é importante friccioná-las bem por no mínimo 20 segundos. Esse é o tempo mínimo para que o álcool cumpra sua função de higiene e evapore das mãos, eliminando o risco de queimaduras;
  • Higienizar as mãos com álcool pode provocar queimaduras caso a pessoa entre em contato, logo em seguida, com uma fonte de ignição, como fogão ou isqueiro;
  • Na hora de limpar a casa, aposte na água sanitária, que não é inflamável;
  • Para evitar qualquer tipo de acidente doméstico, guarde-o em um local seguro, longe de fogão, botijão de gás, crianças e animais de estimação;
  • Nunca, em nenhuma hipótese, tente fabricá-lo em casa. Isso é perigoso e só deve ser feito por um químico;
  • Em caso de queimaduras, é recomendado fazer compressas frias no local afetado e aplicar óleo mineral ou vaselina para manter a pele hidratada.

Gostou das dicas sobre o uso do álcool em gel? Então, continue seguindo nosso blog e fique em casa, se possível.

Prevenção e Combate a Incêndio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X