alarmes de incêndio


Recentemente, o mundo assistiu perplexo o incêndio da Catedral de Notre-Dame em Paris. Além da tristeza, tragédias como essa deixam o alerta de que ninguém está livre de um incêndio, e por isso, a importância de poder contar com um sistema de alarmes de incêndio.

Se interessou? Quer saber mais sobre o assunto?

Então confira este artigo, principalmente se você está pensando em construir ou reformar um imóvel.

A importância dos alarmes de incêndio

Focos de incêndio podem acontecer em qualquer lugar: residências, empresas, hospitais, escolas. Nenhum lugar está livre de um acontecimento como esse.

Por isso é tão importante a instalação de alarmes de incêndio. A utilização desses equipamentos antecipa o problema e, claro, pode salvar vidas.

No mais, no caso de imóveis comerciais, um bom sistema de alarmes pode evitar uma grande perda econômica, um processo criminal, a paralisação das atividades e outras coisas nada agradáveis.

Com um sistema de alarmes de incêndio, ao menor sinal de fogo ou fumaça, os responsáveis serão comunicados para realizar os procedimentos a tempo, preservando assim vidas humanas e também os bens materiais.

Dicas para instalação de alarmes de incêndio

  1. O alarme de incêndio convencional, que não consegue definir com exatidão onde estão os pontos de fumaça, é indicado para os locais menores.
  2. Já no sistema de alarmes de incêndio endereçáveis, cada dispositivo apresenta um endereço fixo. Isso faz com que se saiba exatamente onde se localiza o foco de fumaça, sendo assim ideal para grandes espaços.
  3. Não existe uma lei específica sobre o assunto, mas os bombeiros precisam permitir a instalação dos alarmes e para que isso ocorra, deve ser apresentado um projeto. E esse projeto deve conter todos os elementos necessários que garantam a detecção de um princípio de incêndio, no menor tempo possível.
  4. Para a elaboração do projeto, procure uma empresa especializada em alarmes de incêndio, ela irá te indicar quais são os produtos mais indicados para o seu espaço.
  5. Todo sistema de alarmes deve ter duas fontes de alimentação: a principal, que é a rede de energia elétrica do imóvel, e a auxiliar, composta por baterias, nobreak ou gerador.
  6. É importante que a central de detecção e alarme fiquem em um local onde exista uma constante vigilância humana, bem como que seja de fácil visualização. Ela deve acionar o alarme geral, devendo ser audível em toda edificação.
  7. Em alguns casos, principalmente em lugares com grande concentração de pessoas, o alarme geral pode ser substituído por um sinal sonoro (pré-alarme) apenas na sala de segurança, junto à central. Dessa forma evita-se tumulto e pânico entre as pessoas. No entanto, caso não sejam tomadas as ações necessárias, o alarme geral deve ser acionado dentro de 2 minutos.
  8. Nos locais em que não for possível ouvir o alarme geral, devido a atividade sonora intensa, como por exemplo, onde as pessoas trabalhem com protetores auriculares e em lugares como casas de show, danceterias, salões de baile etc, devem ser instalados avisadores visuais e sonoros. E esses, devem ser instalados a uma altura do piso de 2,2 a 3,5 metros.
  9. Com relação aos acionadores manuais, esses devem ser instalados a uma altura de 0,90 a 1,35 metros, preferencialmente junto aos hidrantes.
  10. E atenção! Nos edifícios com mais de um pavimento, deve existir um acionador manual em cada um deles. No mais, a distância máxima a ser percorrida por uma pessoa, de qualquer ponto da área protegida até o acionador manual mais próximo, não deve ser superior a 30 metros.
  11. Não pense que esses alarmes são caríssimos. Atualmente, é possível ter o equipamento de alta tecnologia e muito eficientes sem gastar muito. Sem falar, que o prejuízo com um incêndio é, com certeza, muito maior.
  12. E tem mais, se o equipamento tiver a manutenção adequada, realizada por técnicos habilitados e treinados, pode durar por muito tempo.  
  13. É importante adquirir equipamentos qualidade, de acordo com as normas técnicas e de empresas idôneas e com experiência no ramo.
  14. Além dos alarmes de incêndio, é preciso investir na sinalização das saídas de emergências, luzes, escadas com corrimão, etc. Só assim, você conseguirá garantir a vida das pessoas e a preservação do patrimônio em caso de incêndios.
  15. Por fim, vale lembrar a necessidade também dos equipamentos destinados a combater o fogo, tais como extintores de incêndios, hidrantes, mangueiras, registros e chuveiros automáticos (sprinklers).

Gostou das nossas dicas? Então que tal agora conhecer nossa linha de detecção e alarmes?

Qualquer dúvida entre em contato, teremos prazer em atendê-lo. 

Prevenção e Combate a Incêndio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X