Sem dúvidas, todos conhecem a instituição Corpo de Bombeiros, mas a sua história no Brasil talvez seja novidade.

Por isso, organizamos a linha do tempo completa, listando os principais eventos que marcam os seus passos até hoje.

Leia também:
Equipamentos de segurança no combate a incêndios: entenda a importância
Saiba tudo sobre como realizar uma manutenção preventiva

Conheça a história do Corpo de Bombeiros

Resumidamente, a trajetória dessa profissão começou há mais de 150 anos e ainda cativa atenção e respeito da população. Isso porque os colaboradores reúnem coragem, heroísmo, altruísmo e vontade de ajudar o próximo, características bastante relevantes para as atividades.

Apesar de o órgão existir há muito tempo, demorou anos para se tornar o que conhecemos. Então, reunimos os acontecimentos mais importantes da sua jornada.

1856

Neste ano, com a assinatura de um decreto de Serviço de Extinção de Incêndio, surge o Corpo de Bombeiros. O responsável foi Dom Pedro II, na época, o imperador do Brasil.

No entanto, só em 1875 ocorreu a primeira tentativa de estabelecer um serviço de bombeiros junto à Companhia de Urbanos. Na época, 10 homens formavam o grupo, que ficou conhecido como “Turma de Bombeiros”.

Embora eles tenham estabelecido a equipe, a lei não determinava qual era a sua função. Depois de ter sido rapidamente abandonada, os profissionais se encarregaram de tomar conta das ruas.

1880

Um incêndio na capital paulista destruiu a biblioteca da Faculdade de Direito e o arquivo do Convento de São Francisco. No dia seguinte, foi proposta a criação de uma Seção de Bombeiros, mas somente em 1882 a corporação se consolidava.

Com o Decreto n° 42, a Companhia de Urbanos, o Corpo Policial Permanente e a Seção de Bombeiros formariam as forças policiais.

Em 10 de março, a lei foi votada e aprovada. Este evento marcou a data como a criação oficial do respectivo órgão de São Paulo.

A partir de 1887, a Seção começou a receber novos equipamentos, entre eles, a primeira bomba a vapor. Neste período, também autorizou a ampliação de número de integrantes para 30 homens.

1890

Aqui, o Corpo de Bombeiros aumentou a quantidade de membros para 64 homens. Além disso, eles adquiriram novos recursos e contrataram um maquinista para bombas.

Inclusive, um decreto definiu a cobrança de um imposto sobre as seguradoras, como uma forma de custear a instituição.

1930

Até 1932, este nome estava sob a tutela estadual, mas, em 1936, a entidade se transferiu para a municipal. Assim, durante anos, o grupo permaneceu sob custódia das cidades, perdendo muitas das vantagens sociais obtidas pela Força Pública.

Apenas em 1940, as oficinas foram cedidas à Força Pública, proporcionando a aquisição e montagem de serviços de material bélico.

Ao longo dos anos, a associação cresceu, mas até 1960 ainda precisava de certas melhorias.

1990

Neste ano, ele começou a ser aperfeiçoado.

Por exemplo, enviou oficiais ao exterior para conhecer e estudar ocorrências que envolviam produtos perigosos, ampliando a sua capacidade de atuação. Na mesma época, mulheres entraram, realizando tarefas como resgate e enfermagem.

Pouco depois, em 1997, lançou o seu Manual de Fundamentos, com mais de 360 páginas. No total, o material apresentava 18 temas ligados às principais áreas de atuação desses profissionais.

Por fim, a sirene conhecida como “Bitonal” se tornou exclusiva dos veículos do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

2000

Em 2007, a instituição adotou o Sistema de Dados Operacionais (SDO) e o novo relatório de ocorrências entre suas ferramentas.

Em 2010, se juntou ao Sistema de Informações Operacionais, permitindo a integração entre serviços da Polícia. Sem dúvidas, essa novidade facilitou o controle das estatísticas de ocorrências.

No mesmo ano, o Decreto Estadual nº 56.819/11 foi sancionado. Dessa forma, aplicou o Regulamento de Segurança Contra Incêndio das edificações e áreas de risco.

Quais são os serviços prestados?

O Corpo de Bombeiros realiza muitas atividades, entre elas, extinção do fogo até resgates de humanos e animais. Inclusive, o grupo responde a casos de asfixia, afogamentos, quedas e traumas que possam causar perigo à vida.

Acidentes de trânsito com pessoas feridas, salvamento de matas e florestas, tentativas de suicídios podem ser atendidas por esses profissionais.

Além disso, a entidade age na prevenção de acidentes e afogamentos. Nesse sentido, pode dar palestras informativas, focadas em orientar a população sobre cuidados em situações cotidianas.

Na realidade, ela é tão eficiente que, muitas vezes, efetua os salvamentos por telefone. Isso porque os especialistas informam quem está do outro lado da linha sobre as melhores atitudes e os primeiros socorros.

Enfim, o órgão também atua na fiscalização de obras e empresas. Por exemplo, avaliam o espaço para evitar acidentes, verificam a qualidade a adequação de equipamentos.

Entendeu como surgiu a profissão e por que ela é tão importante?

Curiosidades

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

      X